Se desobedecer, dança: Justiça proíbe Crivella de beneficiar ‘irmãos evangélicos’

Rio de Janeiro - O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella durante entrevista coletiva sobre as manifestações dos taxistas (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Foto: Agência Brasil

Após a revelação de uma reunião secreta com pastores no Palácio da Cidade, na semana passada, a Justiça do Rio determinou, ontem, restrições à atuação do prefeito Marcelo Crivella (PRB). Por decisão do juiz Rafael Cavalcanti Cruz, da 7ª Vara de Fazenda Pública, Crivella está proibido de usar a máquina pública em interesse de grupos religiosos, de privilegiar o uso de serviços públicos (como filas de hospitais) ou de realizar censos religiosos.  Em caso de descumprimento, Crivella pode ser afastado.

LEIA ESSA MATÉRIA COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA TERÇA (17) OU NA VERSÃO ONLINE EXCLUSIVA PARA ASSINANTES.

Deixe um Comentário