Restaurantes populares fecham as portas

2016-879593376-201601111438175034-jpg_20160111

2016-879593376-201601111438175034-jpg_20160111

Três restaurantes populares pararam de funcionar e outros três podem fechar as portas por causa da crise no Estado. A dívida com a empresa que administra os restaurantes populares chega a R$ 3 milhões.

Os restaurantes de Campo Grande, Itaboraí e Bangu já fecharam as portas e as unidades da Central, Méier e Cidade de Deus fecham se o pagamento não for feito até sexta. As unidades servem o café da manhã a 0,50 e o almoço a R$ 2.

Só a unidade de Campo Grande serve mil cafés da manhã  diariamente. Em julho, a crise já tinha forçado a interrupção do funcionamento de unidades como Central, Méier e Cidade de Deus, que podem parar de funcionar novamente.

A crise também atinge as agências do Rio Poupa Tempo. As unidades de Bangu, na Zona Oeste do Rio, e de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, fecharam as portas.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico disse que não há previsão para a reabertura das unidades do Rio Poupa Tempo situadas em Bangu e em São João de Meriti, que tiveram a energia cortada, devido à grave crise econômica que afeta as finanças do governo do estado. O atendimento fica suspenso até a próxima quarta-feira (21).

 

Deixe um Comentário