Piloto da Civil, Osvaldo Franco foi o primeiro a transportar vacina contra Covid-19

Rio de Janeiro - RJ - 02/02/2021 Comandante Franco SAER CORE Foto: Rafael Campos

Jota Carvalho
[email protected]

O trabalho de um piloto de helicóptero da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro se estende desde o apoio a operações policiais até o transporte de pacientes com o novo coronavírus. Porém, o comandante Osvaldo Franco, com sua experiência de 34 anos na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da instituição, nunca imaginou que colaboraria para o “começo do fim” da pandemia que afeta o estado e o mundo desde o ano passado. Piloto, ele foi o primeiro a transportar doses de vacina contra a Covid-19 no Rio de Janeiro. Os imunizantes foram usados numa ação promovida pelo Governo do Estado no Cristo Redentor, em 18 de janeiro.
“Quando eu soube que iria transportar o primeiro lote da vacina, falei: ‘Vamos fazer da melhor forma possível, não importa o tempo, não importa como, a gente tem que fazer!’”, conta o piloto, animado.
“É importante a gente saber que está ajudando, que está colocando nossa pequena parcela de cooperação para terminar (com esta pandemia) isso o mais rápido possível”, diz.
O piloto da equipe aérea mais antiga do estado já entregou doses de vacina em Macaé, Campos dos Goytacazes, Itaperuna, Miracema, Cordeiro e Teresópolis. Ele está ansioso para que sua mãe, Hebe Franco, de 81 anos, esteja devidamente imunizada contra a doença.
“Eu tenho certeza que a população deve se vacinar, é muito importante. É a única forma de terminar com essa pandemia”, acrescenta Franco.
A distribuição de doses de vacina contra a Covid-19 por todo o território fluminense é realizada a partir de uma força-tarefa do Governo do Estado, viabilizada pela Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Secretaria de Estado de Saúde (SES).