Pezão anuncia aumento de 10,22% no salário da Segurança do Rio

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB)  toma posse na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Foto: Reprodução/internet

 

O governador Luiz Fernando Pezão anunciou o reajuste de 10,22% nos salários dos policiais militares e civis, bombeiros, agentes penitenciários e outros funcionários da Segurança e Administração Penitenciária. Servidores que são ativos na educação também terão reajuste. A previsão de pagamento é para a próxima terça feira.

A reunião contou com a presença do secretário de segurança , Roberto Sá; o comandante geral da Polícia Militar, coronel Wolney Dias e demais agentes, na cúpula de segurança, no Palácio Guanabara durou pouco mais de duas horas. Pezão confirmou no encontro que o Estado cumprirá o calendário e realizar os pagamentos no décimo dia útil (14). Os servidores ativos e inativos da Segurança serão pagos com uma parcela a mais do reajuste de 2014.

Em nota, o governador afirma que: “Desde o meio do ano passado, quando veio toda essa dificuldade e a arrecadação piorou, nós colocamos o pagamento, principalmente, da Educação e da Segurança, para o décimo dia útil do mês. Então, o décimo dia útil é dia 14, e nós vamos pagar neste dia os servidores da Segurança, com reajuste, e Educação, como temos feito nos meses anteriores. A gente sabe o que representa a segurança pública para o Estado do Rio. Por isso, mantemos esse compromisso o tempo inteiro, mesmo com muita dificuldade. É uma situação muito difícil. Eu queria pagar todos os servidores em dia, mas eu dependo do acordo que a gente está fazendo com a União e da aprovação das medidas que vamos mandar para Assembleia Legislativa. Isso vai dar previsibilidade para colocar os salários em dia e todo mundo receber no mesmo dia”.

A Polícia Militar e o corpo de bombeiros terão reajuste de 7,65%; Polícia Civil, 10,22% (delegados terão vencimentos ajustados em 3,3%); Inspetores e Administração Penitenciária terão 3,24% de aumento. s reajustes foram instituídos pelas leis 6.840/2014, 6.833/2014 e 6.841/2014, respectivamente. As duas últimas parcelas serão pagas em 2018 e 2019.

Greve da PM

Após boatos nas redes sociais, Pezão conversou com o ministro da Defesa, Raul Jungmaman e, em nota divulgada pelo Palácio, ele pediu  ao ministro para que o setor de Inteligência das Forças Armadas possa ajudar na tentativa de localizar de onde partiram as falsas informações.

 

Deixe um Comentário