Mostra de Dança da Educação reúne 350 alunos em Ciep de Belford Roxo

Capa

As arquibancadas do Ciep Constantino Reis ficaram lotadas para a Mostra de Dança/Rafael Barreto/PMBR

A Secretaria de Educação de Belford Roxo realizou no Ciep Municipalizado Constantino Reis, em São Bernardo, a sétima edição do projeto Mostra Municipal de Dança das Escolas Públicas, que reuniu 26 unidades escolares (educação infantil, primeiro e segundo segmento) e cerca de 350 alunos. O tema do projeto é “Dançando e Promovendo uma Cultura de Paz”, onde crianças, jovens e adultos traduzem na linguagem corporal da dança um grande espetáculo de criações, inovações e
impressões desta arte milenar. O projeto procura criar espaço para a apresentação destas composições corporais produzidas durante o ano letivo, por alunos da rede, sob orientação de professores de educação física.

De acordo com a professora de educação física, que também trabalha na equipe pedagógica na Secretaria de Educação, Inês Canário, este ano, a mostra foi voltada para a cultura nacional. Inicialmente, o projeto acontecia na Casa da Cultura,
mas, devido ao grande número de escolas participantes, o espaço precisou ser maior para alocar todos os alunos. “O projeto político pedagogo, entre várias ações, é aonde contemplamos a dança como instrumento valioso para o desenvolvimento da criança, onde focamos na cultura do movimento e os alunos passam a se expressar melhor, levando em conta a importância da dança no contexto escolar. Esse é um dia letivo diferente”, destacou Inês.

Valorização do trabalho
Para a secretária adjunta de Educação, Eneila Lucas, esse foi mais um evento para contemplar o trabalho que acontece nas escolas. “A equipe do projeto fez a mostra com muito carinho e é importante que as crianças recebam essa oportunidade cultural, que ao mesmo tempo é um momento de aprendizagem, onde elas mostram o conteúdo
desenvolvido nas escolas”, afirmou. A chefe da Divisão do Ensino Fundamental, Simone Ramos, acrescentou que essa é a valorização do trabalho que acontece nas escolas. “Momento de os alunos mostrarem o que produzem de cultura e isso acaba os incentivando a cada vez mais participarem mais animados”, concluiu.

Mãe e filha, Elisangela Correa da Silva, 40, e Nathália Correa de Araújo, 12, são bailarinas. A menina aprendeu a coreografia que apresentou na mostra, criada pela mãe, e foi um dos destaques deste ano e de 2018 em apenas quatro horas. “Fiquei um pouco nervosa, mas, esse ano está melhor ainda e todos gostaram”, disse a pequena que é aluna da Escola Municipal Capela São José. Elisangela foi quem seguiu os passos da filha e hoje também é bailarina. “É uma honra ter uma filha bailarina. Ela foi quem me inspirou para esta arte. E nessa mostra é muito bom poder ver os talentos de
diferentes crianças”, acrescentou Elisangela. Para a professora da sala de leitura da unidade Capela São José, Daiani Cerqueira, este foi um evento que mais uma vez
marca a educação da cidade. “Aqui aconteceu o incentivo à cultura, ainda mais com a temática que respeita e traz a pluralidade da cultura brasileira. Isso faz com que o nosso papel de educador seja mais significativo”, afirmou.

Deixe um Comentário