Mesquita realiza 1º Fórum de Segurança Pública Sob a Ótica da Igualdade Racial

IMG_9332
Fotos: Bruno Santos

Mesquita foi palco de um evento pioneiro nesta sexta-feira (23), onde promoveu o 1º Fórum de Segurança Pública Sob a Ótica da Igualdade Racial. A ação aconteceu no Centro Cultural Mister Watkins, e foi uma realização da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), através da Coordenadoria de Políticas e Programas de Igualdade Racial (COMPIR).
A abertura contou com a participação da Corporação BanMaFa, que executou o hino nacional e realizou apresentações de música e dança. A solenidade contou com a presença da secretária da SEMAS, Cristina Quaresma; do coordenador da COMPIR, Cláudio Macalé; do secretário de Segurança de Ordem Pública de Mesquita (SEMSOP), cel. Sérgio Mendes; do presidente do Conselho Estadual dos Direitos do Negro, Luiz Eduardo Negrogum; da secretária de Cidadania e Direitos Humanos de Nilópolis, Martha Chambarelli; do superintendente de Igualdade Racial de Nilópolis, Junior Lima; do defensor público, Antônio Carlos; e do especialista em segurança e doutorando em Ciências Sociais, André Gomes, que ministrou uma palestra.
Durante o evento foram apontados os principais problemas que a população negra enfrenta no âmbito da segurança. “Pesquisas mostram que a cada 23 minutos, um jovem negro é morto no Brasil. Precisamos promover ações urgentes para reverter esse quadro de violência. Para isso é preciso que toda sociedade denuncie, interaja e se sensibilize. Precisamos da participação de todos, propondo soluções em conjunto com o poder público”, disse Luiz Eduardo Negrogum.
A atividade foi parabenizada pelos participantes e definida como um marco na Baixada Fluminense. “Este é um movimento inédito no Estado do Rio de Janeiro e muito corajoso. Parabenizo a Prefeitura de Mesquita pela iniciativa e proponho que este fórum se torne permanente. A Baixada Fluminense tem dados alarmantes em relação a letalidade por violência. E mais da metade dos jovens mortos por amas de fogo são negros e pardos. Esse quadro só vai mudar a partir do momento que o problema tiver visibilidade e o conceito de segurança for ressignificado. Precisamos descontruir os preconceitos e o Estado deve ser um parceiro, atendendo a sociedade independente da cor da pele”, afirmou o professor André Gomes.
A secretária da SEMAS, Cristina Quaresma, falou sobre a importância do debate. “Estamos vivendo um momento em que a segurança está em pauta. Como representantes do poder público, temos a obrigação de abrirmos espaços como este para a promoção de ações que ajudem a construir uma sociedade melhor e igual para todos. E trabalhando em rede com outros municípios, teremos resultados cada vez mais expressivos, comentou ela. O coordenador da COMPIR agradeceu a adesão do público. “Espero que os jovens aqui presentes possam absorver os valores apontados na atividade e se tornem multiplicadores, uma vez que serão os nossos formadores de opinião do futuro”, concluiu Cláudio Macalé.
O Fórum foi promovido em parceria com o Conselho Estadual dos Direitos do Negro (CEDINE), com apoio dos órgãos de políticas de igualdade racial dos municípios de Nilópolis, São João de Meriti e o do Espaço BF.

Deixe um Comentário