Maquinista morre após mais de sete horas preso em ferragens

Dois trens bateram na Estação de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio de Janeiro, na manhã desta quarta-feira

O choque foi tão forte que as duas composições ficaram destruídas. Bombeiros trabalharam por quase oito horas para tirar Rodrigo Assunção das ferragens/Reprodução/Leo Correa/AP/Reprodução/G1

Após quase oito horas de resgate, o maquinista de um dos trens que colidiu hoje pela manhã não resistiu e morreu. O acidente ocorreu às 6h55 e o maquinista só conseguiu ser retirado das ferragens às 14h30. Ao lado da plataforma da estação de São Cristóvão, onde ocorreu o acidente, os bombeiros tentaram procedimentos de reanimação por quase 40 minutos, mas o condutor Rodrigo Assunção não resistiu, segundo a corporação.
Durante todo o resgate, Rodrigo ficou consciente e respirava com a ajuda de aparelhos. Após mais de sete horas preso às ferragens, ele foi retirado com uma máscara de oxigênio e deitado em uma maca. Um helicóptero do Corpo de Bombeiros chegou a pousar na Rua General Herculano Gomes, próxima à estação, mas decolou em seguida sem passageiros a bordo.
Segundo o Corpo de Bombeiros do estado do Rio de Janeiro (BMERJ), o maquinista sofreu uma parada cardiorrespiratória depois de ter sido retirado com vida das ferragens. Os militares tentaram reanimá-lo, mas não tiveram sucesso. “Ele foi muito forte, com certeza foi. Nesse momento, a gente se solidariza com a família num momento de tristeza”, disse o capitão, que faz parte do Grupamento de Busca e Salvamento.

Trasnfusão de sangue
Enquanto estava preso nas ferragens, o maquinista foi mantido vivo respirando com auxílio de um balão de oxigênio e com transfusão de sangue e aplicação de soro. A corporação informou que ele estava lúcido e conversou com bombeiros.Agentes usaram maçaricos e outrasferramentas para tentar liberar espaço retirando peças das ferragens. Outros, com mangueiras, resfriavam o trem e evitavam um possível incêndio.

SuperVia vai instaurar sindicância
As outras oito vítimas da colisão tiveram ferimentos leves e foram levadas para os hospitais municipais Souza Aguiar e Salgado Filho. Sete delas já tiveram alta hospitalar. O choque dos trens ocorreu pela manhã, na estação de São Cristóvão, na zona norte do Rio de Janeiro. Um trem vinha em direção à estação e acabou se chocando com a outra composição que estava parada na plataforma.atéria ampliada às 16h36.
Em nota, a concessionária informou que uma sindicância foi instaurada para apurar as causas do choque. A Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp) informou, em nota, que está investigando as circunstâncias do acidente.
“Equipes técnicas foram enviadas à estação para fazer o levantando do local do acidente. Além das causas da colisão, também serão objeto de análise pela agência reguladora a adequação do atendimento prestado aos usuários pela concessionária SuperVia e dos procedimentos adotados para o restabelecimento da normalidade na operação comercial dos trens. A concessionária poderá ser multada”, diz a nota.

Deixe um Comentário