Mãe e filha são mortas a tiros dentro de casa na Zona Norte do Rio

Ataque-02

O caçula, a irmã, Lindsay, e a mãe, Luciana de Almeida e Wladimir (abaixo). Portão da casa onde ocorreu o crime, em Marechal Hermes/Reprodução/Redes sociais/Reprodução/TV Globo

Luciana Almeida da Silva, de 35 anos, e a filha, Lindsay de Almeida Reis, 16, foram mortas depois que um grupo de homenes armados invadiu a casa da família, no número 241 da Rua Igaratá, em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio, na madrugada de ontem. Outras duas pessoas também foram baleadas: Wladimir Dativo dos Santos, 41, que está internado no Hospital Estadual Carlos Chagas com múltiplos ferimentos a bala; e o filho caçula do casal, 7, baleado na cabeça, e segue em estado grave.
O titular da Delegacia de Homicídios da capital, Daniel Rosa, que investiga o crime, disse que espera prender o autor do crime do ataque em pouco tempo. Uma testemunha contou que o ataque seria consequência de uma briga da família por divisão de bens. “Pode ser, mas ainda não sei”, comentou um primo. “Somos parentes, vivíamos em paz”, acrescenta. Segundo ele, n1as cinco casas do terreno moram 20 pessoas da mesma família.

Um dos feridos tem várias passagens
Uma das vítimas do ataque, Wladimyr tem passagens pela polícia por lesão corporal, roubo de carga, porte ilegal de arma e homicídio. Após cumprir pena, a vítima ultimamente dizia a parentes viver “uma vida digna e mais correta”:
A último registro, sem data informada, aconteceu durante uma operação de rotina na Favela da Quitanda. Na ocasião, cinco homens se organizavam para cometer um roubo de carga e foram flagrados ao lado do veículo citado na denúncia. No carro, foi encontrada uma arma de fogo municiada embaixo do banco do carona. Já na casa de Wladimyr, a polícia encontrou vários pacotes de achocolatado e outros pacotes de carne de frango de diferentes marcas.
Em outra ocasião, em outubro de 2015, Wladimyr esteve envolvido num acidente de trânsito no bairro Anchieta, quando três veículos colidiram. Uma mulher foi levada para a UPA de Ricardo de Albuquerque. Em outro caso, ele foi acusado de matar um homem, de aproximadamente 30 anos, em Bento Ribeiro com arma de fogo.

Deixe um Comentário