Má-fé de concessionária de veículo revolta empresário em Nova Iguaçu

Itavema

 

Empresário compra veículo na Itavema Fiat, mas não recebe. Vendedor teria ‘manipulado’ cliente a pagar boleto com a intenção de receber comissão, mas não cumpriu prazo

Comprar um carro hoje pode significar dor de cabeça e muito aborrecimento que podem levar o consumidor a cobrar por seus direitos na Justiça. Em um mercado cada mais consumista e concorrido, é comum concessionárias de carros atraírem clientes para fechar negócio. Mas muito cuidado, porque o sonho pode virar pesadelo!
Na Baixada Fluminense, a vítima da vez é um empresário iguaçuano que há dias tenta receber pelo pagou. O veículo no valor de R$ 126 mil virou problema pra ele. E dos grandes! De acordo com Luciano Ornelas de Lemos, há mais de mês esteve na concessionária Itavema Fiat, localizado na Avenida Carlos Marques Rollo, no bairro Vila Nova. No local foi recebido pelo vendedor identificado como Marco Antônio. Este teria usado de lábia para convencê-lo a fechar a compra com a garantia de que o veículo seria entregue dentro prazo de 30 dias.

Mentiu na maior cara de pau
Segundo o empresário, antes de completar 30 dias o funcionário enviou o boleto, informando que o carro já estava na concessionária. Além disso, ele teria cobrado várias taxas que não são legais e que o cliente recusou a pagar. A fatura, assim como outras de valores diferenciados que totalizaram o valor do veículo, foi paga na última segunda-feira, tendo a promessa de que receberia o veículo dois depois, o que não ocorreu.
“A partir daí começaram os aborrecimentos que evidenciaram a má-fé da empresa. Quando liguei na quinta-feira, fui tratado com truculência pelo Marco Antônio, que de forma grosseira garantiu que o carro seria entregue ontem. Mais uma vez, eles descumpriram o prazo, numa clara tentativa de me fazer de palhaço. Agora, esse vendedor até se esconde e evita atender as minhas ligaçõies, deixando claro que mentiu somente para vender o carro e embolsar a comissão dele”, afirmou o empresário revoltado.

“Ouvidoria e nada são a mesma coisa”, diz empresário
A dor de cabeça do empresário não parou aí. Irritado com o descaso e desrespeito com que a Itavema o está tratando, Luciano passou a relatar o caso junto a Ouvidoria, através do telefone 08007071000. Na última quinta-feira, o cliente foi atendido por um funcionário que se idenfificou como Gabriel, que ficou responsável pelo seu caso.
Mas, o que poderia ser o começou de uma solução, se transformou em mais aborrecimentos. Segundo o empresário, o atendente ficou de retornar às ligações para informar sobre uma possível solução do problema, mas até o fechamento desta reportagem, ele não havia feito contato, e quando o fez antes da data de ontem, mostrou-se incompetente para resolver a questão. O empresário chegou a anotar os números do protocolo para juntar aos outros documentos que serão anexados a um processo judicial por danos materiais e morais.
O empresário também ligou para os gerentes Ricardo Ferreira e Gabriela, que também não retornaram às ligações. “É descaso em cima de descaso. Estou cansado, revoltado, mas quero meu carro!.Eu paguei o carro à vista e ninguém da empresa me dá uma resposta”, disse o empresário, indignado.

Reportagem: Antonio Carlos 

Deixe um Comentário