Justiça julga ex-PM suspeito de matar jovem em Nilópolis

expm30

Começou ontem (28) o julgamento do ex-policial militar suspeito de atirar e matar Raíssa Vargas Motta, de 22 anos, em agosto de 2014. Ela estava em um carro com amigos, em Nilópolis, na Baixada Fluminense, quando PMs dentro de uma viatura atiraram 12 vezes contra o automóvel. O grupo voltava de uma festa, quando o carro foi confundido pelos policiais com o de criminosos.
O crime foi gravado pelas câmeras da viatura. O PM se debruçou na janela e começou a atirar. Dos 12 disparos feitos, 10 atingiram o carro e um deles atingiu as costas da jovem. Ao descer do carro, os PMs ouviram um pedido de socorro.
Dois policiais estavam na viatura, mas apenas um vai à júri popular: Márcio José Watterlor Alves, que fez os disparos de fuzil. A Justiça entendeu que o outro agente, Delviro Anderson Ferreira, não teve participação e nem induziu o colega a fazer os disparos.
Os dois chegaram a ficar dois meses presos, mas depois foram soltos. Márcio foi expulso da corporação, mas Delviro segue na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.
Márcio José Watterlor Alves responde pelo homicídio doloso de Raíssa e outras quatro tentativas de homicídio dos outros ocupantes do carro.

Deixe um Comentário