Japeri prepara acordo para fomentar negócios da China

japeri

Japeri está a um passo de selar relações bilaterais com a China, país fornecedor de mão de obra, no século 19, para a construção do ramal ferroviário da Central do Brasil, que hoje leva o nome da cidade.

         Nesta quinta-feira (18), o prefeito Carlos Moraes e o secretário municipal de Urbanismo e Habitação, Vinícius de Oliveira Araújo, apresentaram ao Consul Geral da China no Rio de Janeiro, Li Yang, um esboço do memorial que o município vai erguer em breve em homenagem aos cerca de 5 mil chineses que morreram na Baixada Fluminense. Eles foram vítimas de malária, febre amarela e leishmaniose, entre outras doenças, durante a construção da estrada de ferro para ligar o Rio de Janeiro à estação de Belém, em Japeri.

         O encontro, na sede do Consulado, em Botafogo, acontece num momento em que Xi Jinping, presidente do maior país da Ásia Oriental e o mais populoso do mundo, lança o ambicioso programa de integração logística, comercial e de capacidade industrial, denominado “Um Cinturão, Uma Rota”. A ideia do projeto é estabelecer vínculos duradouros e interdependentes com dezenas de países em diversos continentes.

         Carlos Moraes disse a Li Yang que a instalação de empresas processadoras de produtos industrializados chineses seria bem-vinda pelo fato de Japeri estar localizada estrategicamente próxima do Porto de Itaguaí e ao lado de grandes rodovias, como a Via Dutra e o Arco Metropolitano.

         Engenheiro civil, com mestrado em biossistemas, doutorado em tecnologia agropecuária e autor do projeto do Memorial à China, Vinícius Araújo frisou por sua vez que Japeri pode se tornar rapidamente também um grande polo de confecções, fabricando roupas a partir de têxteis chineses.

Para a vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China (CCIBC), Uta Schwietzer, a aproximação de Japeri com o país asiático pode ser o início, não só de uma grande amizade, mas também de abertura de novos caminhos para linkar ainda mais duas regiões favoráveis ao desenvolvimento de negócios bilaterais.

         SÍMBOLO DE RESPEITO E ADMIRAÇÃO

         Vinícius Araújo explicou a Li Yang que o Memorial será um símbolo do respeito e admiração que a sociedade de Japeri tem pela cultura, determinação e força do povo chinês. “Será um monumento original sobre a passagem dos chineses por Japeri em razão da migração de trabalhadores para a construção de novas linhas férreas da antiga Estrada de Ferro D.Pedro II”, observou.

          Ainda de acordo com o secretário de Urbanismo e Habitação, a ideia do Memorial é incorporar alguns elementos da cultura chinesa, buscando a harmonia entre os símbolos, tradições e as tendências do design contemporâneo da arquitetura e engenharia mundial.

         “O memorial se tornará espaço de respeito, admiração e união com os chineses. Além de um monumento para culto religioso, será também um selo do tratado comercial entre o município de Japeri e os investidores estrangeiros. Essa iniciativa tem por objetivo representar o progresso gerado através do esforço e da determinação do povo chinês”, explicou Vinícius Araújo.

Deixe um Comentário