Itaguaí tem um ‘governo de família’ e MP está de olho

Nepotismo-02

Charlinho e Aberladinho (d),prefeito e vice, acusados de contratar parentes para o 1º escalão

Parentes em vários graus do vice-prefeito e de secretários ocupam cargos na Prefeitura com bons salários

O Ministério Público deverá receber na próxima semana uma lista com nomes de parentes do vice-prefeito Abeilard Goulard de Souza Filho, o Abeilardinho, e de membros do primeiro escalão do governo, nomeados para cargos de confiança e com bons salários.

A lista pretende a abertura de um procedimento para apurar possível prática de nepotismo na administração municipal de Itaguaí, cidade marcada por escândalos de corrupção e contratações de funcionários fantasmas, denúncias apresentadas durante a gestão do prefeito Luciano Mota, que inclusive foi afastado do cargo por decisão da Justiça.

Só na Secretaria de Eventos a lista aponta quatro nomeados que seriam do núcleo familiar do titular da pasta, mas o prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho (MDB), também não dá bom exemplo. Ele nomeou a esposa Andréia Cristina Marcello Busatto para comandar a Secretaria de Educação e Cultura, setor que tem como sub-secretária Cristiane Fiorotti, que seria esposa do secretário de Trânsito Nelson Donato Sobrinho.

Ex-vereador e hoje vice-prefeito, Abeilardinho conseguiu bom espaço no “governo de família” instalado no dia 1º de janeiro de 2017. Sílvia Veras Ventura, que seria sua ex-mulher, foi nomeada através da Portaria 0126, no cargo de diretora financeira do fundo de pensão dos servidores do município, o Itaprevi, do qual atualmente é presidente. De quebra ele emplacou a filha Erika Yukiko Muraoka de Souza como secretária de Turismo e Esporte, setor que tem como chefe de gabinete Célio de Souza e Silva Junior, que seria cunhado do vice-prefeito.

A por muitos considerada desnecessária Secretaria Municipal de Eventos tem como titular Fábio Luís da Silva Rocha. Lá estão nomeados Thiago Rocha Naegele, coordenador de eventos; Luis Carlos da Silva Rocha, diretor de expediente, além de Fabiane de Oliveira Rocha Barbosa e Mariana Guimarães dos Santos, assessoras de eventos.

Luzia de Freitas Câmara é desde o dia 1º de janeiro de 2017 a titular da Controladoria Geral do Município, com vencimento bruto de R$ 20 mil, mas há mais gente da família Câmara nomeada na Prefeitura.
Diva de Freitas Câmara, por exemplo, é a diretora financeira da Companhia de Desenvolvimento de Itaguaí (Coduita), cargo ao qual é atribuído o salário bruto de R$ 6 mil. Já Evan Las Cazas de Brito Junior é o diretor da Escola de Música, e Raphael Câmara de Brito assessor de conservação da Secretaria Municipal de Obras. O espaço está aberto para manifestação da administração municipal de Itaguaí.

MP determina exoneração da ‘família’
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Angra dos Reis, expediu recomendação determinando a exoneração da primeira-dama de Itaguaí, Andréia Cristina Marcello Busatto, e da filha do vice-prefeito do município Abeilard Goulart de Souza Filho, Erika Yukiko Muraoka de Souza. Elas foram nomeadas na administração municipal, ocupando respectivamente os cargos de secretária de Educação e secretária interina de Cultura, e de secretária de Esportes. O pedido inclui outros diversos servidores da Prefeitura Municipal e da Câmara de Vereadores pela prática de nepotismo.

 

Reportagem: Elizeu Pires 

Deixe um Comentário