Invadida três vezes, escola se abre à comunidade para combater violência

desenho110

Estão roubando as crianças do Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Noronha Santos, em Ricardo de Albuquerque. Só em 2017, a creche municipal foi invadida três vezes: duas para furtos e outra para vandalismo. A escalada da violência, nunca antes vista segundo a diretora Daniela Cordeiro, não desaminou a equipe pedagógica. Mas a reação foi no sentido oposto ao da raiva. Em vez de briga, amor: os pais dos estudantes foram convidados para irem mais à unidade e, assim, ajudar na tarefa de cuidar do espaço.

A escola é de todos. É da comunidade. Os filhos deles estão aqui. Por enquanto, só aconteceu em fim de semana. Mas pode acontecer dia de semana, né? — diz Daniela Cordeiro.

A primeira ação foi a recuperação de um muro. Os galões de tintas foram doados e o mutirão foi promovido na última quinta-feira. Do lado de fora, as pequenas mãos das crianças foram marcadas na parede. Tudo para lembrar que, ali, é um lugar que deve ser preservado.

Deixe um Comentário