Homem mata o cunhado a tiros por disputa por terreno acaba em morte

Crime em Magé-01

 Rafael Coimbra, ao lado da esposa e da filha, foi atingido nas costas após ver que uma tubulação de esgoto havia sido colocada em seu quintal/Reprodução

A professora Ana Beatriz Machado, de 27 anos, presenciou o marido ser assassinado com um tiro nas costas pelo próprio cunhado, na tarde da última quinta-feira, em Magé. O crime teria sido motivado por causa da disputa do terreno que divide a casa deles, na Rua 15, no bairro Jardim Santo Antônio.
Segundo relatos da mulher, quando Rafael chegou em casa do trabalho percebeu que o cunhado tinha passado um cano de esgoto pelo quintal da casa deles. Ele então empurrou a tubulação para o quintal vizinho e acabou foi alvo dos tiros. “Ele veio armado, mirou na cabeça do Rafael, atirou, mas não acertou. Foi quando meu marido correu e ele atirou novamente acertando ele pelas costas”, disse ela, revoltada. Após o crime, o autor dos disparos fugiu do local. A família tentou socorrer Rafael no Hospital Municipal de Magé, mas ele já chegou à unidade sem vida.

“Só quero justiça”, diz mulher da vítima
A professora acusa a irmã da vítima de ter sido negligente no caso, não protegendo o irmão. Ela também reclama que a mulher teria se negado a entregar fotos do pedreiro aos policiais que a procuraram.
Tanto a Polícia Militar quanto a Civil foram acionadas para o caso. O 34°BPM (Magé) informou que quando chegou ao endereço já encontrou Rafael sem vida. Já a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fez a perícia no local e investiga o caso.
A discussão pelo terreno entre os cunhados é recente. A professora contou que o marido vendeu o terreno da casa ao lado para a irmã há cerca de dois anos. A transação teria sido feita “de boca”, através de um acordo entre os dois. e desabafou: “Eu estou revoltada, triste, muito triste, porque destruíram minha família. Ele era um trabalhador, batalhador, homem bom, amado por todos e não merecia isso. Eu só quero justiça. Quero os dois na cadeia, porque a irmã dele é cúmplice”, pede.

Deixe um Comentário