Fotógrafo é morto por traficantes após reclamar de barulho no Rio

Thiago chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos/Reprodução/Redes sociais

Vítima foi baleada no quintal de casa depois de falar que filha não estava conseguindo dormir.

Um crime covarde e praticado por motivo fútil destruiu uma família na Região Metropolitana. Thiago Freitas de Souza, de 32 anos, foi assassinado na porta de casa, na manhã de ontem, depois de pedir que traficantes diminuíssem o barulho. O crime ocorreu na comunidade do Santo Cristo, no Fonseca, em Niterói, Pouco antes, a região havia sido palco de uma guerra entre facções rivais.

A Delegacia de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) informou que a vítima estava em casa com a família, quando, por volta da 6h, saiu para pedir que traficantes diminuíssem um pouco o barulho, pois a filha não estava conseguindo dormir. Em seguida, Thiago foi baleado e caiu no quintal de casa. Ele chegou a ser socorrido por familiares para o Hospital Estadual Azevedo Lima (HEAL), no Fonseca, mas não resistiu aos ferimentos.

Invasão
Pela manhã, as comunidades Santo Cristo e Coronel Leoncio foram atacadas por traficantes de outra facção. Os policiais da especializada ouviram relatos de que criminosos ligados à facção Terceiro Comando Puro (TCP) tentavam retomar as favelas, que atualmente são controladas pelo Comando Vermelho.

Por cerca de duas horas e meia, moradores forma aterrorizados com o barulho dos tiros. O comandante do 12º BPM (Niterói), coronel Sylvio Guerra, informou que PMs ocuparam as comunidades e que a situação está sob controle.