Faxineira é morta a facadas

faxineira
faxineira
A Divisão de Homicídios da Capital investiga o assassinato da empregada doméstica Adriana Pereira da Silva, de 43 anos, moradora do bairro Olinda, em Nilópolis. O principal suspeito é o marido dela, que não teve o nome divulgado pela polícia, para que o inquérito não seja prejudicado. O crime ocorreu no último fim de semana.
De acordo com as primeiras informações, na noite de sábado Adriana e o esposo estavam em um pagode no bairro Madureira, no subúrbio do Rio de Janeiro, quando houve uma discussão entre o casal motivada por ciúmes. Ela voltou para casa e, por volta das 7h da manhã de sábado, o homem chegou, mas foi impedido de entrar. Adriana teria dito que não iria mais manter o relacionamento.
Um parente da vítima afirma que o marido dela retornou, por volta de 12h, e conseguiu entrar em casa. A mulher dormia quando foi esfaqueada no peito. Ela ainda foi socorrida e levada para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas morreu já no fim da noite.
O corpo de Adriana foi sepultado na segunda-feira (22), no Cemitério de Olinda. Segundo uma prima da vítima, ela não deixa filhos e planejava pedir a separação do homem com quem viveu nos últimos oito anos. O suspeito está foragido.

Deixe um Comentário