Empresa escolhida para fornecer merenda vende é medicamentos

Japeri

Pela ata, a Leman está apta a fornecer 81 itens para a merenda escolar/Reprodução 

De acordo com o cadastro na Receita Federal, firma sediada em Nilópolis tem o comércio atacadista de remédios como atividade econômica principal

A Prefeitura de Japeri homologou o resultado da segunda licitação para compra de gêneros alimentícios para merenda escolar, fornecimento agora sob a responsabilidade de cinco empresas, quatro delas contratadas pelo total de R$ 10,5 milhões em fevereiro,
sem que o abastecimento tivesse sido regularizado. De acordo reclamações de pais de alunos, o primeiro semestre de 2019 foi de falta de merenda em várias unidades. A nova licitação foi vencida por uma firma que, de acordo com o cadastro dela junto à Receita
Federal, tem o comércio atacadista de medicamentos como atividade econômica principal.
Pelo que está na ata 010/2019, oriunda do Pregão 019/2019, a Leman – que consta como sediada em Nilópolis – está apta a fornecer 81 itens para a merenda escolar, indo do achocolatado e biscoitos aos cereais, pelo total de R$ 6.743.352,37, o que, somado aos valores globais das quatro atas geradas pela licitação de fevereiro, eleva os gastos estimados para este ano com gêneros alimentícios para as escolas da rede municipal de ensino de à soma de R$ 17.340.133,56.

 TCE apontou sobrepreço
A licitação realizada em fevereiro teve como vencedoras as empresas DN Grill Produtos Alimentícios – que já teve mais de R$ 8 milhões em contratos com o município, sendo que em um deles o Tribunal de Contas do Estado apontou sobrepreço em 30 itens –, Distribuidora de Cestas Vassouras, A&M Mercado Passarela e Linck Comercio e Serviços.
Pelo que consta de sua ata, a DN Grill pode fornecer – até o final do ano letivo de 2019 – 16.486 quilos de filé de tilápia ao preço unitário de R$ 42,99, chegando ao total de R$ 708.733,14, enquanto a Distribuidora de Cestas Vassouras levou o maior lote, com valor global fixado em R$ 6.231.167,04 para 59 itens. Já a A&M tem uma ata de R$ 3.013.404,96 para fornecer carne a Linck Comercio e Serviço ganhou o lote referente a polpa de frutas e 3.493 quilos de queijo branco, no valor total R$ 643.476,05.

Má gestão deixa escolas sem merenda em Japeri
Depois de fraudes e superfaturamento apontados pelo Tribunal de Contas do Estado em contratos firmados para atender a rede municipal de ensino de Japeri, surge agora mais um ponto negativo, a má gestão, que está comprometendo a merenda nas escolas municipais, embora já tenham sido homologadas atas de registro de preços em favor de quatro empresas, no valor de R$ 10,6 milhões. A péssima administração do prefeito Cesar Melo fere o setor de Educação, que conta com o maior volume de receita do município, mas não funciona como deveria. O que se comenta nos corredores do p oder em Japeri é que o prefeito não exerce sua autoridade sobre a Pasta, que teria uma administração paralela, embora seja ele quem homologa as licitações, contratos e ordens de pagamento.
De acordo com algumas mães de alunos, tem semana que as crianças recebem apenas frutas como alimento, e na parte da manhã, em algumas unidades, as aulas tem sido encerradas duas horas mais cedo por conta da falta de merenda.
O pregão para contratar o fornecimento de gêneros alimentícios para a merenda escolar foi feito em fevereiro deste ano, tendo sido vencido pelas empresas Distribuidora de Cestas Vassouras, DN Grill Produtos Alimentícios, A&M Mercado Passarela e Linck Comercio e Serviços. Ontem (5), em resposta ao RJTV da Rede Globo de Televisão, a Prefeitura divulgou uma nota dizendo que estaria procedendo com uma nova licitação para normalizar a merenda escolar, mas nenhum edital nesse sentido é encontrado do Portal da Transparência.

Deixe um Comentário