Eleições americanas: Trump perde processo para parar apuração em Michigan

Election worker Tommy Rose wears protective gear as he collects mail-in ballots at the Registrar of Voters on the day of the U.S. Presidential election in San Diego, California, U.S., November 3, 2020. REUTERS/Mike Blake

Trump faz pronunciamento na Casa Branca/Reuters/Carlos Barria

ESTADOS UNIDOS – Uma juíza norte-americana rejeitou uma ação civil apresentada pela equipe de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na esperança de parar a contagem de votos no Michigan.

O ex-vice-presidente Joe Biden, adversário democrata de Trump, tem vitória projetada no Michigan, onde o republicano foi vencedor na eleição de 2016.

Cynthia Stephens, juíza de uma vara cível do Michigan, tomou a decisão durante uma audiência realizada ontem. A magistrada disse que pretende emitir um veredicto por escrito hoje. Autoridades de campanha de Trump disseram ter iniciado a ação no Michigan para deter a contagem no estado e ter mais acesso ao processo de apuração.
A ação civil foi um “exercício de mensagem”, disse Bob Bauer, conselheiro de campanha de Joe Biden. “Não tem outro propósito além de confundir o público a respeito do que está acontecendo e apoiar suas alegações infundadas de irregularidade”, disse Bauer em conversa com repórteres. Fonte: Agência Brasil.

Pronunciamento

Durante pronunciamento na Casa Branca, Trump disse, mais uma vez sem apresentar provas, que está sendo roubado na apuração dos votos da eleição presidencial. Desta vez, entre outras acusações, ele apontou como fraudulentas as quedas nas margens que tinha de liderança em alguns estados.

“Nós estávamos ganhando em diversos estados com uma grande margem, mas os votos começaram magicamente a mudar”, disse o republicano. Trump mais uma vez afirmou que tomaria medidas judiciais contra as supostas irregularidades na eleição.