Denúncia: exploração de estacionamentos rotativos com ‘taxa extra’ em Nova Iguaçu com

Denúncia-13

O inimigo está mais próximo do que se imagina. Nas ruas de Nova Iguaçu, estacionar um veículo numa das vagas administradas pela empresa que explora o serviço pode acabar em aborrecimento e dor de cabeça. Isso, porque, na maioria das vezes, o motorista esbarra na má-fé praticada pelo funcionário, que visa o lucro através de esquema ilegal.
Na manhã de ontem, um motorista que havia estacionado seu veículo na Rua Alberto de Melo, próximo a Rua Athaide Pimenta de Morais, na região central da cidade, passou por um transtorno depois que o funcionário exigiu que ele pagasse R$ 6, quantia referente a três horas de ocupação. Segundo denúncia do motorista, ele permaneceu menos de uma hora no local, motivo pelo qual se negou a pagar pelo valor cobrado.
“Ele exigiu os R$ 6 e disse que não iria tirar a diferença do bolso dele. Cheguei a questionar o valor, mas ele se esquivou. Depois de um breve bate-boca, acabei pagando somente os R$ 2 correspondentes a menos de 1 uma hora que permaneci na vaga. Até pedi meu dinheiro de volta porque ele se negou a fornecer o comprovante de pagamento. Isso é ilegal. Prova que existe um esquema para ‘arrancar’ dinheiro do cidadão de bem. Vou levar a denúncia à Prefeitura porque esse tipo de abuso precisa ter um freio”, disse o motorista, indignado com a situação.

De forma desordenada
Não é a primeira vez que profissionais credenciados pela empresa que explora estacionamentos em Nova Iguaçu são alvos de denúncias. Muitos motoristas reclamam que sistema funciona de forma desordenada e, em muitos casos, com uma fiscalização falha. Segundo a denúncia, alguns profissionais se acham os “donos da rua” e até permitem o estacionamento em local proibido em troca de dinheiro para a chamada ‘caixa dois’.
As vítimas desses exploradores defendem um choque de ordem por parte da Secretaria de Transporte, Trânsito e Mobilidade. “Não são todos, mas a maioria explora, sim. Se acha o dono do estacionamento e até briga quando o motorista não quer pagar o exigido. Isso é um absurdo!”, disse um empresário sem querer se identificar.

Antonio Carlos

Editoria de Geral 

Deixe um Comentário