Corpo de enfermeira morta no Rio enterrado em Nova Iguaçu

Foto Hyago Santos/Hora H

Foto Hyago Santos/Hora H

O corpo da enfermeira morta com um tiro na cabeça após sair do plantão do Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, foi enterrado na tarde desta quarta-feira (25) no Cemitério municipal de Nova Iguaçu.

Cerca de 200 pessoas entre parentes e amigos de Aline de Paula Pereira, de 31 anos, usaram uma blusa com sua foto. Aline, que era mãe de três crianças, de 3, 6 e 12 anos, ela foi atingida durante uma tentativa de assalto na Avenida Brasil, altura da Vila Kennedy, na Zona Oeste.

Patrícia Pitanga, 38, que trabalhava com Aline no Hospital Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda, no Centro do Rio, disse que a amiga amava o que fazia. Era muita batalhadora e fazia plantões em três unidades médicas. “Não sabemos o que aconteceu porque não há testemunha. Só esperamos por justiça”, disse.

 Fundadora do Grupo de Motociclistas

A vítima foi uma das fundadoras do Moto Grupo Motociclistas sem Rumo, que existe há quatro anos, de Nova Iguaçu. Integrantes do grupo fizeram um protesto pelas ruas no entorno do cemitério, durante o velório de Aline.
“É difícil buscar palavras para esse ato covarde. Estamos muito sentidos com a perda dessa mulher batalhadora. Queremos justiça”, disse Hido Silva, de 56 anos, presidente do grupo.

Deixe um Comentário