Coronel assassinado julgaria caso de desvio de dinheiro

pm-morto-marica-1

pm-morto-marica-1

O coronel Ivanir Linhares Fernandes Filho, de 49 anos, morto a tiros na manhã desta quarta-feira, em Maricá, julgaria acusados no caso do desvio de pelo menos R$ 16 milhões do Fundo de Saúde da Polícia Militar (Fuspom) na sexta-feira. Apesar disso, o depoimento do sargento Luiz Cláudio Carvalho da Silva, de 44, que sobreviveu ao ataque, leva a policia a dividir a atenção com a hipótese de tentativa de assalto.

Ele foi ouvido pela Divisão de Homicídios (DH) de Niterói no Hospital Estadual Alberto Torres, onde está internado. O julgamento dos acusados do desvio de dinheiro do Fuspom será mantido.

— O fato de ele ser um dos cinco votos que podem condenar participantes do desvio de milhões de reais é muito forte. As características também são de execução. No entanto, o depoimento do sargento leva a crer em latrocínio. Ele diz que dois homens anunciaram um assalto dizendo “perdeu”, e ele revidou — diz o titular da DH, Fábio Barucke.

Em nota, a Polícia Militar do Rio confirmou que coronel participaria de uma audiência.

“O Coronel Ivanir Linhares Fernandes Filho participava de um Conselho Especial de Justiça na Auditoria de Justiça Militar do Estado do Rio de Janeiro, órgão subordinado ao Tribunal de Justiça e que auxilia em julgamentos. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios. A Polícia Militar instaurou uma apuração sumária para esclarecer todas as circunstâncias do fato. O Comando da Corporação está dedicado a prestar todo apoio à família do oficial, além de prestar as últimas homenagens a ele. A Corporação concentra esforços para prender os criminosos envolvidos no crime”, diz o texto.

Deixe um Comentário