Civil agarra quadrilha de roubo de carga

Quadrilha-02

Os presos são suspeitos de participação em organização criminosa que atua na Baixada/Reprodução

Os 11 suspeitos de integrar uma organização criminosa que atuava no Complexo do Guandu, em Japeri, foram presos por agentes da 60ª DP (Campos Elíseos) durante a operação “Furio”, deflagrada na manhã de ontem, com o objetivo de combater o comércio de venda de drogas, o roubo de cargas e de veículos na Baixada Fluminense, principalmente no Arco Metropolitano, e a extorsão de empresários e comerciantes para que não fossem incomodados pelos criminosos. Das prisões, seis foram cumprimentos de mandados, segundo o Departamento Geral Polícia da Baixada Fluminense (DGPB).
De acordo com as investigações, entre 2013 e 2015, uma facção criminosa comandava todo o tráfico de drogas na região. Com a prisão, em agosto de 2015, de Ipojucan Soares de Andrade, conhecido como ‘Coroa’, e apontado como líder da quadrilha, os seus comparsas Breno da Silva Souza e Jairo Rodrigues Alves, o “Paizão” passaram ao comandar o tráfico no local. A dupla, no entanto, se associou a outro grupo criminoso que passou a controlar a venda de drogas na Comunidade do Guandu.

Braço’ Arafat na ‘boca’ da Baixada
As investigações apontam ainda que para assumir o tráfico “Breno” e “Paizão” contaram com o apoio do chefe do tráfico de drogas na Pedreira, em Costa Barros, Carlos José da Silva Fernandes, o “Arafat”. Com isso, houve uma guerra entre as facções na busca pela hegemonia do poder.
Em meados de 2017, Breno, então chefe do tráfico no Guandu, passou a comandar o roubo de cargas e veículos, principalmente na região do Arco Metropolitano. As investigações revelaram que os criminosos exigiam quantias mensais, em dinheiro dos empresários e comerciantes locais, para que esses pudessem desenvolver as suas atividades sem sofrer atentados.

Fonte: Agência Brasil

Deixe um Comentário