Canal de Suez pode ficar dias ou até semanas bloqueado após meganavio encalhar

A handout picture released by the Suez Canal Authority on March 25, 2021 shows Egyptian tug boats trying to free Taiwan-owned cargo MV Ever Given (Evergreen), a 400-metre- (1,300-foot-)long and 59-metre wide vessel, lodged sideways and impeding all traffic across the waterway of Egypt's Suez Canal. - Egypt's Suez Canal Authority said it was "temporarily suspending navigation" until refloating of the MV Ever Given ship was completed on one of the busiest maritime trade routes. (Photo by - / Suez CANAL / AFP)

Imagem de satélite do Cnes2021 mostra o MV Ever Given encalhado no Canal de Suez, no Egito/Cnes2021, Distribuição Airbus DS via AP

EGITO – Pode levar dias ou mesmo semanas para desencalhar o meganavio Ever Given, que desde a última terça-feira bloqueia completamente o trânsito no Canal de Suez, a principal rota do comércio Ásia-Europa, alertam especialistas.

A navegação está suspensa no canal, uma das principais passagens náuticas do mundo. Enquanto isso, equipes tentam manobrar o navio de contêineres de 220 mil toneladas e 400 metros de comprimento que é maior que a Torre Eiffel e quase do tamanho do Empire State.

Mais de 200 navios carregados aguardam a liberação em ambos os lados do canal, que tem 193 km e liga o Mar Vermelho ao Mediterrâneo. Cerca de 12% de todo o comércio global passa pelo local.

A estratégia da Autoridade do Canal de Suez (SCA, na sigla em inglês) tem sido escavar a área onde a proa do navio encalhou, empurrá-lo a partir do solo e usar grandes rebocadores para fazê-lo voltar a flutuar.

Mas ela não está funcionando. Primeiro, falaram em liberar a passagem de outros navios ainda na última quarta-feira. Hoje (25), o presidente da SCA, Osama Rabie, afirmou que “se Deus quiser, terminaremos hoje”.

Agora, equipes de resgate da Holanda e do Japão foram convocadas para redesenhar os planos para desencalhar o meganavio, que tem bandeira panamenha, foi construído em 2018 e tinha como destino o porto de Roterdã, na Holanda.

A Evergreen Marine Corp de Taiwan, que alugou o navio, anunciou que a empresa holandesa Smit Salvage e a japonesa Nippon Salvage vão trabalhar ao lado da SCA e do capitão do navio para fazê-lo flutuar e retomar tráfego em uma das principais rotas comerciais do mundo.