Câmara dos EUA aprova lei de reforma policial ‘George Floyd’

 Grafite do artista 'EME Freethinker' em apoio aos protestos pela morte de George Floyd é desenhado no parque público 'Mauerpark', em Berlim, na Alemanha — Foto: Michael Sohn/AP

ESTADOS UNIDOS – A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou na última quarta-feira um projeto de lei que proíbe táticas policiais controversas e facilita processos contra policiais que violarem os direitos de suspeitos.

Os democratas, que têm maioria na Câmara, conseguiram aprovar a “Lei George Floyd de Justiça no Policiamento” por 220 votos a 212. Um único republicano votou a favor do projeto. O texto agora segue para o Senado, onde as perspectivas de aprovação são incertas.

A aprovação ocorreu a poucos dias do julgamento de Derek Chauvin, ex-policial de Mineápolis que assassinou George Floyd, ao apoiar o seu joelho contra o pescoço da vítima durante 8 minutos e 46 segundos em maio de 2020.

Chauvin vai a julgamento por homicídio culposo e assassinato em terceiro grau. Segundo a acusação estadual, Floyd já não respondia mais nos últimos 2 minutos e 53 segundos do sufocamento e morreu em um hospital logo depois.

O ex-policial está solto desde outubro, quando foi libertado após pagar fiança de US$ 1 milhão (mais de R$ 5,5 milhões).
Durante o sufocamento, Floyd afirmou várias vezes “I can’t breathe” (“Eu não consigo respirar”, em tradução livre).

A frase virou lema das manifestações que se espalharam pelo país (e por várias cidades ao redor do mundo) e impulsionou o movimento “Black Lives Matter” (“Vidas Negras Importam”).