Arco nas mãos da bandidagem

Arco-01

Importante obra que liga Duque de Caxias ao Porto de Itaguaí, o Arco Metropolitano deixou de ser uma solução para o transporte de cargas para se transformar em dor de cabeça e medo tanto para quem trafega pelos seus quase 72 quilômetros quanto para quem mora em suas imediações.

Os relatos de assaltos perpetrados por criminosos que ficam à espreita no matagal prontos para atacar são comuns. Muitos motoristas estão evitando passar pela rodovia e escolhem o caminho mais longo para não serem assaltados.

Moradores pedem cabine da PM
Em Nova Iguaçu, moradores de bairros próximos reclamam que após o término das obras do Arco, orçado em cerca de R$ 2 bilhões, a região ficou mais perigosa, com assaltos acontecendo diariamente. “É um absurdo. A média é de 10 a 20 ocorrências por dia”, disse assustada uma moradora do bairro Santa Rita.

Cansados de conviver com o medo e a insegurança, os moradores de Santa Rita e do Corumbá, que ficam próximos ao Arco, fazem um apelo ao comando do 20° BPM (Mesquita) para que seja instalada uma cabine na saída de acesso desses bairros à rodovia. “Inclusive já foi construída a base para a cabine. Falta agora a iniciativa das autoridades do município e da área de segurança para concretizar o nosso sonho de viver em paz aqui”, afirmou um aposentado.

Questionada sobre a falta de segurança na rodovia, a PM informou que seis patrulhas fazem rondas no Arco durante 24 horas por dia. De acordo com o comando do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o policiamento cobre o local pelo período de 24 horas. O BPVE afirma que são realizadas diariamente 8 operações em horários e locais de maior incidência criminal.

 

Deixe um Comentário