Agentes penitenciários e policiais civis fazem paralisação

Sem título

Agentes penitenciários e policiais civis do Rio deram início a uma paralisação na madrugada desta terça-feira (17). Além de estarem com o salário de dezembro e com o 13º salário atrasados, os agentes da Secretaria de Administração Penitenciária reivindicam a melhoria das condições de trabalho, já que os presídios estão superlotados e não houve aumento de efetivo. Já os policiais civis exigem o pagamento do salário de dezembro (2016), do 13° salário (2016), do RAS (atrasado desde junho de 2016) e das metas (atrasadas desde dezembro de 2015) para ativos, inativos e pensionistas.

Com salários atrasados, agentes penitenciários fazem paralisação/ Reprodução TV Globo

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) informou que possui um plano de segurança para manter a rotina das unidades prisionais, mas não deu detalhes sobre esse plano e não informou qual foi a adesão dos agentes penitenciários à paralisação até a manhã desta terça.

Uma das medidas dessa paralisação é não permitir que os parentes entrem para visitar os detentos. Como mostrou o Bom Dia Rio, às 6h já havia uma grande fila na frente do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste, já que esta terça-feira é dia de visita.

A paralisação deve durar até a próxima segunda-feira, quando uma nova assembleia será feita. Por enquanto, só será mantido o fornecimento de alimentação, o cumprimento dos alvarás de soltura e a saída de presos para atendimento médico.

Deixe um Comentário