Acusado de integrar milícia é executado com tiros na cadeira do dentista no Rio

Popeye-01

Aglomeração de curiosos em frente ao prédio onde ocorreu o assassinato/Reprodução

Alexsander da Silva Monteiro, conhecido como Popeye, foi executado após um grupo de homens armados invadir um consultório dentário localizado na Rua J, no Conjunto Cesar Maia, em Vargem Pequena, na Zona Oeste do Rio, na noite da última terça-feira.
Policiais militares do 31ºBPM (Recreio dos Bandeirantes) foram acionados para o local e acionaram a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC). De acordo com investigações, Alexsander, que era ex-PM, teria envolvimento com um grupo de milicianos que domina a região. Ele também é apontado pela Polícia Civil como chefe de uma organização criminosa do bairro Campo Grande, também na Zona Oeste.

Ainda segundo a polícia, Popeye assumiu a liderança do grupo criminoso após a prisão de Francisco Bala de Oliveira, o Chico Bala, em 2009. A especializada informou que instaurou inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Alexsander. A principal linha de investigação é a de execução motivado por um suposto acerto de contas.

Liderou ataque
Em março de 2010, Alexsander foi preso acusado de liderar um ataque a um posto da Polícia Militar, em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio. Na ocasião, um PM morreu e outro ficou ferido. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TRE-RJ) condenou o ex-PM por extorsão qualificada ao exigir de um comerciante parte do lucro na venda de água mineral e botijões de gás mediante a ameaças.

A Draco-EI investiga o paramilitar e sua quadrilha em mais de 70 inquéritos. Em 2008, ainda de acordo com a Polícia Civil, Popeye liderou um ataque a um posto da Polícia Militar em Itaboraí, município da Região Metropolitana.

Polícia prende suspeitos de integrar milícia na Baixada
Policiais da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco) prenderam, ontetm dois homens suspeitos de integrar a milícia de Danilo Dias Lima, o Tandera, que atua na região do Conjunto Marinha, em Nova Iguaçu.
Eles foram identificados como Michel de Carvalho Ferreira, conhecido como Barba, e Sérgio Caldas de Lima Silva.

De acordo com as investigações, Michel já possuía mandado de prisão preventiva pelo crime de homicídio qualificado. Com eles, a polícia apreendeu uma pistola municiada, calibre .380, com numeração raspada; coturno; calça tática;
uma caneca com o símbolo de seu “chefe”, o miliciano ‘Tandera’, radiotransmissores da milícia; diversos uniformes militares; capas de colete balístico.
Dentro de um apartamento vazio no conjunto Marinha, foram apreendidos: carregadores de fuzil; munições de fuzil;
colete balístico; uma pistola glock calibre 9mm, com numeração raspada; uma granada; uma espada; *diversos pinos de cocaína; taser; facas; toucas ninja. Os dois suspeitos vão responder por crimes de porte ilegal de arma de fogo e organização criminosa.

 

Reportagem: Antonio Carlos

Fonte: O Dia

Deixe um Comentário