Na Baixada, empresário vendia roubo pra comprar carro de luxo

A Polícia Civil do Rio prendeu nesta quinta-feira (23) Carlos Henrique dos Santos, o Gugu. O dono de uma rede de mercados em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, colecionava carros BMWs com o lucro da venda de mercadoria roubada em seus estabelecimentos.

Segundo as investigações, Carlos Henrique fazia parte de uma quadrilha especializada no roubo de cargas no Rio. Cerca de metade dos caminhões roubados na cidade tem como destino o Complexo da Pedreira, na zona norte da capital fluminense. No local, a quadrilha atua em conjunto com o tráfico de drogas na região. Questionado sobre a coleção de 13 carros de luxo, com valor de ao menos R$ 200 mil cada, Gugu negou que tivessem sido comprados após vender mercadoria roubada. Ele também negou ser dono de mercados.

— Não foi com mercadoria ilícita, não.

O delegado Marcelo Martins alertou que a quadrilha é perigosa.

— O grau de relacionamento social, eu identifiquei [que é] como integrante de uma organização criminosa tão pesada que utiliza, inclusive, armamentos de guerra.

Martins esclarece que Gugu não tinha envolvimento direto com o tráfico, somente com um atravessador que vendia a ele mercadorias pela metade do preço de mercado. Entre os itens, laticínios e carnes nobres. A compra dos carros é apontada como uma forma de lavagem de dinheiro. O delegado aponta as causas da força da quadrilha.

— Existe porque há comerciantes que sustentam esses ciclos, e essa atividade criminosa. E as pessoas [consumidores] costumam buscar as coisas mais baratas, mas que elas tenham consciência de que por trás de uma mercadoria roubada pode ter ocorrido a morte de um trabalhador.

Nesta quinta-feira (23) também foram presos três suspeitos enquanto descarregavam um caminhão de alimentos no morro da Pedreira. A carga era avaliada em R$ 35 mil.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: