Ex-prefeito de Nova Iguaçu acumula vexames no Senado

lindbergh-farias_fernando-collor
lindbergh-farias_fernando-collor

O ex-prefeito de Nova Iguaçu Lindbergh Farias tem chamado a atenção pelos sucessivos vexames que tem protagonizado no exercício de seu mandato de Senador. Integrante da chamada “bancada da chupeta” ao lado das senadoras Vanessa Grazziotin(PC do B) e Gleise Hoffmann(PT) – esta última recentemente condenada a devolver dos milhões de reais aos cofres públicos – Lindbergh Farias tem queimado todos os cartuchos possíveis para tentar desqualificar as acusações que cercam o seu partido, porém tem colhido apenas descrédito junto à classe política, à imprensa e à opinião pública.
Desde o anúncio da chamada “Lista do Janot”, o senador tem vivido um inferno astral. Lindbergh foi elencado entre os políticos citados na Operação Lava Jato que teriam recebido dinheiro sujo de empreiteiros. Mas não são apenas denúncias de corrupção que tem contribuído para o vexame do ex-prefeito iguaçuano. No dia quatro de março, quando o ex-presidente Lula foi conduzido pela PF coercitivamente para prestar depoimento, Lindbergh Farias gravou um vídeo de protesto despenteado e sem camisa, em desacordo flagrante com sua condição de parlamentar. Além disso, desde o inicio do processo de impeachment da presidente Dilma, Lindbergh tem se comportado de maneira histriônica, seja na tribuna, seja na comissão que analisa o processo no Senado, tendo chegado quase às vias de fato com o seu colega, o senador Ronaldo Caiado.
Mas os episódios constrangedores envolvendo Lindbergh Farias não param por aí. No dia nove de maio, Lindbergh e outros senadores protagonizaram a gravação de um vídeo no estacionamento do Congresso imitando um anúncio de operadora de telefonia celular que foi ridicularizado nas redes sociais. Mais recentemente, no dia 31 de maio, o petista comemorou o aumento do desemprego no Brasil e colocou o flagelo na conta do presidente interino Michel Temer, mas os números que comemorava diziam respeito ao período que sua aliada, Dilma Rousseff, ainda governava o país. Mas quando apagou a comemoração de sua página na internet, já era tarde.
Outro episódio que o colocou na berlinda foi uma viagem para Portugal com suas companheiras da “bancada da chupeta” para a Cúpula Euro-Latino-América com as despesas pagas pelo Senado Federal e jantares nos mais caros restaurantes de Lisboa, também bancados pelo contribuinte brasileiro.
Embora o acumulado de vexames seja grande, parece que o inferno astral de Lindbergh Farias não está perto do fim. Recente vazamento da delação premiada de um executivo da Andrade Gutierrez indica que ele foi um dos beneficiários do esquema de propina da empreiteira. Não bastassem todos os processos que o senador responde por conta de sua gestão à frente da Prefeitura de Nova Iguaçu, parece que Lindbergh Farias segue acumulando problemas e a fatura está chegando alta para o político petista.

Leave a Comment